O jornal eletrônico de Águas Claras • Domingo, 27 de Maio de 2018

0

Biblioteca

Emenda destina R$ 150 mil para reformar a Biblioteca Pública de Águas Claras.

Assessora de deputado Raimundo Ribeiro informou sobre emenda na reunião do Conseg. A administração, porém, não estava ciente da destinação.

 

Na última reunião do Conseg de Águas Claras, ocorrido no dia 20 de setembro, Carla Machado, assessora do deputado distrital Raimundo Ribeiro (PPS), informou aos representantes da administração da mesa que havia uma emenda do deputado de R$150 mil destinados para a reforma da Biblioteca Pública de Águas Claras. A modesta biblioteca localizada na Av. Castanheiras se encontra visivelmente deteriorada, com rachaduras nas paredes e tetos, vidros trincados, cadeiras danificadas, vazamentos e banheiro interditado, conforme alertou a publicação da Associação dos Moradores e Amigos de Águas Claras (AMAAC).

 

A assessora relatou que a emenda estava em votação na Câmara Legislativa do DF e que era fruto de um requerimento da comunidade para com o deputado, que visitou a biblioteca para avaliar o estado das instalações. A emenda destina verbas para o Orçamento de 2018.

 

Publicidade

 

O informe trouxe certo desentendimento. A representante da administração de Águas Claras presente na mesa relatou que havia recebido uma emenda cuja destinação não era identificada pelo gabinete do deputado, e remeteu de volta pois não havia carimbo. A assessora respondeu que a emenda tinha destinação certa para as reformas na biblioteca. O presidente da mesa, Jair Tedechi, questionou se aquele espaço era público para recebimento de verbas do governo.

 

Não é o primeiro caso de impasse com a destinação de verbas públicas na região. Como reportado pelo Aqui Águas Claras, o Congresso destinou R$ 4 milhões para projetos de infraestrutura e obras em Águas Claras. Os recursos empenhados necessitam de projetos, caso contrário, serão devolvidos.

 

A Biblioteca Pública foi inaugurada em 2009 e recebe cerca de 130 pessoas por dia. Fica na Praça Coruja, na Rua Ipê Amarelo, esquina com a Avenida Castanheiras. Com acervo de cerca de 12 mil livros, o espaço fica aberto de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas.

 

 

Imagem: Computadores inutilizados da biblioteca pública / AMAAC – agosto de 2017.

 

Comentários

}