O jornal eletrônico de Águas Claras • Terça Feira, 25 de Setembro de 2018

0

Desde 2008

Estagiários do executivo estão há 10 anos sem reajuste, revela empresário

Secretário do Ministério do Planejamento recebe o empresário Sandro Bergamim e o senador Ivo Cassol para receber suas revindicações

“É uma vergonha o estagiário receber uma bolsa baixíssima e ter que desembolsar até R$4,00 por dia com passagem, uma vez que a lei fala que é obrigação o pagamento do VT“, afirma Sandro Bergamim, fundador da Brasília Estágios. Ele, junto ao senador Ivo Cassol (PP-RO), se reuniram com o Secretário Executivo do Ministério do Planejamento, Dr. Esteves Pedro Colnago Junior, para cobrar uma solução para o aumento das bolsa-estágio e vale-transporte para os estudantes estagiando no Poder Executivo.

 

Defasagem

As bolsas de estágios do Executivo são quase a metade das oferecidas no poder Legislativo e Judiciário. Os valores não recebem reajuste desde 2008, quando o Ministério do Planejamento regulamentou o regime para atender às exigências da nova lei de estágios (lei nº 11.788/08). As bolsas variam de R$ 203,00 a R$ 520,00 dependendo do nível e da carga horária do estagiário.

Enquanto as outras esferas federais reajustaram as bolsas periodicamente de acordo com a inflação, o estagiário do Poder Executivo Federal viu queda real nos seus valores. “O estudante não tem mais interesse ou estímulo em estagiar nos Órgãos do Governo Federal”, explicou o fundador da Brasília Estágios, que já colocou 16 mil jovens para estagiar no mercado de trabalho

Em 10 anos o IPCA (Índice de Preços do Consumidor Amplo) registrou um aumento de mais de 70%. Esta é a proposta de reajuste de Bergamim e Cassol para o Ministério do Planejamento. Se acatado, os valores das bolsas estariam em mais sintonia com o que é praticado no âmbito federal.

 

Vale-transporte

Outro problema é o valor do vale-transporte: R$ 6,00 diários. Em Brasília, onde há um maior número de estagiários no Executivo Federal, o preço das passagens subiu cerca de 60% em apenas dois anos. Outras capitais do país também sofreram reajuste, incluindo Porto Velho, capital do estado representado por Ivo Cassol (RO), onde o valor das passagens subiu de R$ 3,00 para R$ 3,80 no último ano.

Esta é a segunda reunião em 6 meses que o empresário e o senador marcam no Ministério do Planejamento para tratar sobre o assunto. Em setembro do ano passado, eles se encontraram com o ministro do planejamento Dyogo Oliveria, ocasião em que a presentaram as propostas originais. “Água mole em pedra dura tanto bate até que fura”, comentou Bergamim nas redes sociais.

 

Publicidade

 

Henrique Terceiro / Aqui Águas Claras

 

Comentários

}