O jornal eletrônico de Águas Claras • Quarta Feira, 18 de Julho de 2018

0

Legislativo

Despesas de manutenção do Clube do Choro serão pagas pelo Executivo

Confira esta e outras notícias do legislativo do DF

Em reunião na manhã desta quarta-feira (28), a Comissão de Educação, Saúde e Cultura aprovou proposta (PL nº1.559/2017) que inclui o Clube do Choro entre as instituições em que 90% das despesas de manutenção e conservação ficam a cargo do Executivo. Falta o projeto ser aprovado por outras duas comissões, pelo plenário da Câmara Legislativa do DF até chegar à sanção do governador.

Para Luzia de Paula (PSB), a intenção é “assegurar longevidade ao Clube do Choro, motivo de orgulho dos brasilienses por servir de abrigo para um estilo de música de primeira grandeza”. O projeto adiciona o Clube do Choro ao rol de construções com manutenção garantida pelo poder Executivo pela lei 5.290/14, como o Espaço Oscar Niemeyer e Espaço Lúcio Costa, na Praça dos Três Poderes.

Clube do Choro

Inaugurado em setembro de 1977, o clube abriga, segundo a parlamentar, “um gênero musical centenário que sempre agradou a cidade modernista”. Ela lembrou que o clube passou por um longo período de abandono até a reforma em 1997 e o recente apoio da Lei do Mecenato. Hoje o Clube voltou a atrair o público, especialmente pelos projetos temáticos, como a homenagem ao centenário de nascimento de Pixinguinha.

 

Publicidade

Hospital Universitário

O presidente da comissão, deputado Wasny de Roure (PT), anunciou um encontro na Presidência da CLDF, no próximo mês, entre os distritais, a bancada do DF na Câmara Federal e a direção do Hospital Universitário de Brasília (HUB) para discutir a conclusão da ala pediátrica daquele hospital.

Segundo Wasny, que visitou as obras com o vice-presidente da comissão, deputado Juarezão (PSB), falta cerca de 30% para o término da construção, feita pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), responsável pela infraestrutura de Hospitais Universitários Federais (HUFs).

Educação Moral e Cívica

Alvo de polêmica, o conteúdo da disciplina Educação Moral e Cívica será tema de audiência pública no próximo dia 17 na Casa. O deputado Raimundo Ribeiro disse, durante a reunião de hoje (28), que o conselho distrital de educação vai participar do debate.

Ontem (27), a Secretaria de Educação anunciou que vai acionar a Justiça para anular a lei, de autoria de Raimundo Ribeiro, que obriga escolas públicas e privadas do DF a incluir essa disciplina na grade curricular da educação infantil e do ensino fundamental. O prazo de regulamentação da lei, publicada no início deste mês, é de 120 dias. A audiência será uma oportunidade, segundo o parlamentar, para discutir o teor dessa prática educativa com a comunidade escolar.

Escola 6 do Paranoá

Ainda no encontro de hoje (28), o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT) denunciou as “péssimas condições” da Escola Classe 6 do Paranoá. O parlamentar, que visitou o local, disse que as instalações foram construídas para abrigar uma fábrica de PVC. “Aquilo ali fere a dignidade humana”, afirmou. O presidente da colegiado, deputado Wasny de Roure (PT), sugeriu uma visita à escola pelos integrantes do colegiado juntamente com a Secretaria de Educação para buscar uma solução para o problema. Participaram da reunião de hoje os deputados Wasny de Roure (PT), Prof. Reginaldo Veras (PDT) e Raimundo Ribeiro (PPS).

 

Publicidade

 

Com informações de CLDF; imagem: Clube do Choro / Bento Viana

Comentários

}