O jornal eletrônico de Águas Claras • Quarta Feira, 18 de Julho de 2018

0

Notícias

Júri de Brasília condena assassino de servidor do Itamaraty

O crime foi cometido em outubro de 2016, na Asa Sul

O Tribunal do Júri de Brasília condenou, nesta terça-feira, 11 de abril, Anderson Vieira Brito pelo homicídio triplamente qualificado de Josué Nóbrega Pereira, e furto de seu veículo e de alguns pertences. A pena foi estabelecida em 15 anos e 3 meses em regime inicial fechado. Ele não poderá recorrer em liberdade. O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) vai pedir o aumento da pena aplicada.

Os jurados acolheram as três qualificadoras indicadas pelo MPDFT, reconhecendo que o crime foi praticado por motivo fútil, a vítima foi morta em razão de discussão relacionada a programa sexual; que houve emprego de asfixia, o autor usou as próprias mãos e um cinto para estrangular a vítima até a morte; e que houve uso de recurso que dificultou a sua defesa, ela foi surpreendida em sua residência com socos e em seguida asfixiada. Reconheceram, ainda, que após o homicídio o réu subtraiu o veículo e pertences da vítima.

 

Publicidade

Entenda o caso

Por volta das 2h do dia 19 de outubro de 2016, Brito e Pereira foram até o apartamento da vítima, na SQS 307. Lá, após discussão relacionada a um programa sexual, o réu usou as próprias mãos e um cinto para estrangular Pereira até a morte.

Brito deixou o apartamento levando o veículo da vítima, e foi encontrado no dia seguinte aos fatos, conduzindo o carro no Paranoá. Ele confirmou que enrolou o cinto no pescoço da vítima, mas negou a intenção de matá-la.

Processo 2016.01.1.120908-6

Comentários

}