O jornal eletrônico de Águas Claras • Terça Feira, 19 de Junho de 2018

0

justiça

MPDFT investiga suposto vazamento de dados de clientes do Banco Inter

Ministério Público teve acesso a arquivos que, presumivelmente, contêm essas informações pessoais de clientes

Após divulgação na imprensa que o Banco Inter teria sofrido uma tentativa de extorsão, a Comissão de Proteção dos Dados Pessoais do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) instaurou, nesta terça-feira, 8 de maio, inquérito civil público para investigar os fatos e apurar responsabilidades. O Inter é um dos maiores bancos totalmente digitais do Brasil.

Na última sexta-feira, o MPDFT expediu ofício ao banco requisitando informações sobre o incidente. A empresa deve informar se foi realmente constatado algum tipo de incidente de segurança relacionado à base de dados do banco, sua natureza e as medidas que foram tomadas, além de quantos clientes ou colaboradores foram afetados.

Segundo o promotor de Justiça Frederico Meinberg, coordenador da Comissão, “o Ministério Público entende que vazamento de dados envolvendo companhias abertas configura fato relevante capaz de influir de modo ponderável na cotação dos valores mobiliários, por isso a determinação de oficiar à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informando sobre a instauração do inquérito civil público”.

 

Publicidade

Entenda o caso

A imprensa divulgou recentemente que um hacker teria ameaçado vender dados pessoais de clientes, funcionários e executivos do Banco Inter, caso a empresa não fizesse um pagamento em até 15 dias. O valor exigido não foi revelado. O hacker teria colocado cheques, documentos, transações, e-mails, informações pessoais, chaves de segurança e senhas de 300 mil pessoas em um arquivo criptografado de 40 GB.

Confira aqui a portaria que instaura o inquérito.

 

Via MPDFT

 

Publicidade

Comentários

}