O jornal eletrônico de Águas Claras • Domingo, 20 de Maio de 2018

0

Racionamento

Caesb deve apresentar plano de racionamento na próxima segunda (23)

Para tratar desses assuntos, a Caesb realizou uma entrevista coletiva nesta sexta-feira (20), às 15 horas, no auditório da sede da companhia (Avenida Sibipiruna, Lotes 13/21, Águas Claras).

 

 

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) vai entregar, na próxima segunda-feira (23), o Plano de Racionamento para a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), que inclui a ampliação do período de rodízio de fornecimento de água de 24 para 48 horas semanais. Ainda hoje, a Adasa publicou uma portaria que autorizava, mediante apresentação prévia do plano, a Caesb a dobrar as horas de racionamento. Porém, a medida só poderá entrar em vigor após ser aprovada pela Agência.

Para este mês, a meta para o Descoberto é de 9%. Desta forma, qualquer medida que restrinja mais o consumo de água seria tomada quando o volume útil do reservatório chegasse a esse nível. Porém, a Caesb afirmou que vai manter o ritmo de abastecimento e garantiu que existem condições para abastecer as cidades mesmo que o nível chegue a 4%. “Conseguimos através da otimização dos cálculos e a combinação das bombas que a gente possa ir além. O que significa que a gente teria condições de captar água sem atingir o volume morto”, aponta o presidente da Caesb, Maurício Luduvice.

 

Publicidade

Luduvice alega que essa “folga” na captação de água acontece por conta da interligação dos sistemas. “A gente vem gradualmente reduzindo a participação do Descoberto no abastecimento do Distrito Federal. Com as novas obras e com a água nova que está entrando, a gente consegue fazer um sistema mais confiável, com maior flexibilidade”, conta.

Em agosto, a companhia tirou do Descoberto o abastecimento Guará I e II, que agora é feito pelo reservatório de Santa Maria. Foi incorporado também, há 15 dias, a expansão do Guará. E ontem, Candangolândia e Núcleo Bandeirante também passaram a ser abastecidos por Santa Maria.

O presidente da Caesb afirma ainda que quando o plano puder ser colocado em prática toda a população ficará sabendo com antecedência. “A data não está definida. A informação que circula na internet que começará na segunda-feira não procede. Estamos nos preparando, estamos trabalhando no plano há muito tempo. A Caesb não trabalha com surpresas”, afirma.

Captação do volume morto do Descoberto

Com base na última medição feita pela Adasa, nesta sexta-feira (20), o reservatório do Descoberto, responsável pelo fornecimento de água de mais de 60% do DF, está com 10,2% do volume útil. Já a barragem de Santa Maria marca 24,9% do nível.

Como a chuva não tem aparecido, a Adasa autorizou, na portaria publicada hoje, a Caesb a utilizar R$ 6,25 milhões para a captação do volume morto do principal manancial de seu sistema. São R$ 5 milhões da tarifa de contingência e R$ 1,25 milhão (25% de reserva adicional).

 

Publicidade

Outros R$ 15 milhões (R$ 12 milhões da tarifa de contingência e R$ 3 milhões de 25% da reserva adicional) poderão ser usados para a construção da adutora e elevatória Olhos d’Água (R$ 7 milhões), da adutora e elevatória Alagado (R$ 4,5 milhões) e da elevatória Ponte da Terra (R$ 500 mil). Todas essas estruturas ficam no Subsistema Gama, parte do Descoberto.

Além disso, a Adasa determinou a suspensão da captação superficial em dias pares nos córregos Chapadinha, Olaria, Capão Comprido, Rodeador e Ribeirão das Pedras, afluentes do Descoberto. O objetivo é reduzir de todos os modos a perda de água na região.

 

Pedro Ventura/Agência Brasília – foto

Raphaella Sconetto
raphaella.sconetto@grupojbr.com

Comentários

}