O jornal eletrônico de Águas Claras • Domingo, 19 de Agosto de 2018

0

Mundo

Explosão é registrada perto de onde o submarino argentino desapareceu

O submarino desapareceu na semana passada, com uma tripulação de 44 pessoas, equipes de busca foram mobilizadas para encontrá-lo antes que o estoque de oxigênio à bordo do submarino se esgotasse.

 

O ARA San Juan retornava de uma missão rotineira de Ushuaia, perto do extremo sul-americano, quando alertou uma “pane elétrica” no meio do trajeto.
Segundo o comandante Gabriel Galeazzi, o submarino subiu à superfície e enviou o alerta de curto-circuito nas baterias do submarino. Os tripulantes receberam ordem para abortar a missão e voltar à base de Mar del Plata imediatamente.
De acordo com o Capitão Balbi, o capitão do ARA San Juan entrou em contato com a base naval mais uma vez avisando que os problemas estavam sendo resolvidos e que o submarino regressaria à base em Mar del Plata.

 

Publicidade
O último contato foi feito na quarta-feira, 15 de novembro, às 7h30 do horário local.

Tentativas de resgate

Vários países, incluindo o Brasil, Chile, Colômbia, França, Alemanha, Peru, Uruguai, África do Sul e a Inglaterra, enviaram aeronaves e navios para ajudar nas buscas. A Marinha dos Estados Unidos chegou a enviar dois veículos subaquáticos para fazer escaneamento sônico nas profundezas do oceano. Um avião da Nasa também foi enviado para fazer varreduras na superfície, sem encontrar nenhum vestígio.

Quem estava à bordo?

No submarino estava uma tripulação de 44 passageiros, comandada por Pedro Martín Fernandez.
Entre os marinheiros, havia uma mulher, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, a primeira marinheira da Argentina a navegar por submarinos, chegou a ser apelidada de “a rainha dos mares”.

 

Publicidade
Com informações de BBC

Comentários

}