O jornal eletrônico de Águas Claras • Sexta Feira, 20 de Abril de 2018

0

pets

Um animal de estimação pode comer a ração de outro? Especialistas orientam

Cada um possui uma dieta única e não deve ser substituída por comida de uma outra espécie

Você já se perguntou porque existe comida de gato e de cachorro, separadamente? Esteticamente elas podem ser bem parecidas, mas será que um animal pode comer a ração do outro?

Quem convive com cães e gatos na mesma casa sabe que as duas espécies são bem diferentes, mas podem conviver em harmonia. Na casa da empresária Carla Simões, o gato Cirilo e cachorro Gulliver dividem o lar, a atenção dos tutores e também o lanchinho um do outro.

O veterinário Roberto Ferreira alerta que se o comportamento é comum na sua casa, então é bom tomar cuidado, porque seu amigo felino poderá sofrer algumas complicações de saúde em virtude da alimentação que pode ser inadequada.

 

Publicidade

“Se o seu gato conseguiu driblar o cachorro e comeu um pouco da ração em um dia isolado, não haverá problemas. Por outro lado, se o consumo for frequente, o animal poderá sofrer consequências graves, como a diarreia, vômito, e em casos extremos pode causar a cegueira ou até mesmo a morte do bichano”, alerta o veterinário.

A mesma coisa vale para o cachorro. Cada um possui uma dieta única e não deve ser substituída por comida de outra espécie.

Especialista alerta que cada pet deve ser alimentado de acordo com a necessidade de cada espécie. (Foto: Carla Simões / Arquivo Pessoal)

Necessidades nutricionais dos pets

A nutricionista de cães e gatos, Cristina Sá Fortes, explica que o gato é um animal que precisa de uma substância chamada taurina, para manter a saúde do seu organismo.

“Na natureza, os felinos são animais carnívoros estritos, e consomem suas presas, pois elas que fornecem os nutrientes necessários para manutenção da sua vida saudável.”

A ração para cães não possuem taurina, e têm diversos nutrientes elaborados para animais bastante ativos. Levando em consideração que o gato é um animal sedentário, é preciso ficar atento. Cristina Sá alerta também sobre a escolha dos alimentos comerciais ou industrializados.
“Os felinos, de maneira geral, alimentam-se basicamente de proteínas e gorduras. Diferente dos cães, que na natureza consumiam, além das presas, fontes de carboidratos como frutas”, afirma a nutricionista.

Então, evite que seus bichinhos comam a comida do outro, e jamais substitua a dieta deles. Cada um possui a sua comida, e ela é elaborada de acordo com a necessidade de cada um.

 

Publicidade

A tutora de Mel e do Black evita que eles se alimentem das rações um do outro (Foto: Ane Cardoso / Arquivo Pessoal)

Como evitar que o gato coma a comida do cachorro?

A estudante Ane Cardoso conta que para evitar que a cadelinha Mel coma a comida do gatinho Black, ou vice-versa, ela tem usado uma tática que tem apresentado bons resultados. “Eu coloco a alimentação do gato no alto, dessa forma apenas ele tem acesso. Já a da Mel coloco na casa de baixo”.

Por ser mais independente, o gato tem dificuldade de adaptar-se a horários certos para comer, então uma outra maneira é deixar a comida disponível, sempre em pequenas porções.

Uma outra opção é estabelecer horários fixos para alimentar o cão e, após este terminar a refeição, retirar os restos ou determinar um tempo limite para ele se alimentar. A grande vantagem dessa rotina para os cães é que evita que animal coma compulsivamente, evitando um quadro de obesidade.

Comentários

}