O jornal eletrônico de Águas Claras • Sábado, 20 de Janeiro de 2018

0

Cães ameaçados

Epidemia de Giárdia em Águas Claras pode estar sendo causada por descaso de donos de animais

 

Em qualquer Petshop que oferece veterinário de plantão, os proprietários de animais como cães e gatos, vão ouvir que está havendo uma epidemia de Giárdia Canina em Águas Claras devido a vários fatores, sendo o mais grave o não recolhimento das fezes desses animais pelos próprios donos que passeiam pelas praças, ruas e calçadas. É preciso tomar muito cuidado com os animais quando for transitar nas ruas de Águas Claras, que além das fezes desagradáveis, muitas ruas estão apresentando mau cheiro em virtude do excesso de urina desses bichinhos.

Alguns condomínios que tem o serviço de pessoal terceirizado, já estão exigindo do fornecedor sacolinhas para recolhimento das fezes dos animais dos condôminos.

Ao sair pelo portão da garagem, o condômino já tem acesso ao saquinho para este fim.

O Adestrador de cães, Franklin Silva (Dog Walker Fiel), que cuida de animais de pessoas que não dispõem de tempo para passear com eles, disse ao Aquiaguasclaras que a falta de sensibilidade de algumas pessoas que teimam em não catar o cocô dos seus animais, pode estar ajudando na proliferação da doença.

“É preciso manter as ruas limpas, até porque às pessoas não tem direito de sujar a via pública”, frisou.

Ele levantou também um problema grave de segurança, onde várias pessoas estão sendo assaltadas por bandidos que levam os cães de grande valor, destacando os Spitz alemães que custam em média R$ 5 mil reais, para revender. Segundo ele, na área de praças e avenidas em Arniqueiras e boa parte de Águas Claras, isso vem acontecendo com mais frequência.

A Giárdia Canina afeta animais e humanos, todos correm o risco de infecção. No animal, se não cuidar logo, ele pode vir a óbito.

Pesquisamos sobre o assunto e encontramos algumas orientações sobre a evitação do problema, Veja:

Essa enfermidade pode afetar também humanos e gatos

Não é raro um cachorro mastigar objetos, ingerir alimentos indevidos e depois passar mal, apresentar vômito ou diarreia.  Mas nem sempre o motivo da indisposição é apenas mais um plástico no estômago, pode ir muito além disso. Algumas doenças apresentam sintomas que às vezes parecem banais, mas na verdade pode ser sério, como a giárdia canina.

 

 

Como identificar um cão com giárdia canina?

Normalmente, o animal contaminado pode apresenta fezes, que pode ter diferentes aspectos, pode conter sangue ou ser normal. O tempo que a desinteria dura não dá para saber exatamente. Em alguns casos o problema se resolve rapidamente e sem necessidade de tratamento ou manter-se até o cão receber os devidos cuidados.

O vômito e a dor abdominal podem ser indícios dessa doença. A perda de peso e a falta de apetite também costumam ser visíveis no cão com giardíase e a fraqueza pode ser uma consequência desse sintoma, além da desidratação.

 

Publicidade

 

Como ocorre a contaminação?

A doença é causada por um protozoário conhecido como  G lamblia ou G duodenalis . Classificada como uma zoonose, essa enfermidade pode também infectar seres humanos. Existem duas formas de transmissão da giárdia em cães e gatos, a direta e a indireta. No primeiro caso, é por meio de outros animais, principalmente em canis e gatis, onde os pets ficam aglomerados e em constante contato. Os animais também são contaminados por ingestão de água ou alimentos que contenham o protozoário presente nas fezes e pelos de outros pets doentes. É bom ficar alerta porque o cisto da giárdia, que fica nas fezes dos animais, é resistente e pode sobreviver por meses em ambientes úmidos.

 

A prevenção é fundamental

Uma das primeiras reações do tutor ao chegar em casa, da rua, é abraçar e mexer nos peludinhos, mas nem sempre isso é recomendado. Durante o dia, pega-se em objetos cheios de bactérias, como dinheiro e corrimões, onde pode haver o protozoário causador da giardíase. Lavar as mãos é essencial sempre, mas nesse caso é ainda mais.

Os sapatos são outros vilões para os animais. Carregam sujeira e muitas bactérias e o contato direto com o chão aumenta a chance de infectar o cachorrinho. A dica aqui é tirar evitar caminhar com os calçados usados na rua dentro de casa, já que vários cães têm mania de lamber e cheirar o chão a todo momento.

 

Aquiaguasclaras.com

 

Link deste artigo: http://canaldopet.ig.com.br/cuidados/saude/2017-06-19/giardia-canina.html

Fonte: Canal do Pet – iG @ http://canaldopet.ig.com.br/cuidados/saude/2017-06-19/giardia-canina.html

 

 

Comentários

}