O jornal eletrônico de Águas Claras • Segunda Feira, 18 de Junho de 2018

0

Fraudes

Operação Patrick: 16 pessoas são denunciadas no esquema da Kriptacoin

Grupo criou a moeda virtual no final de 2016 e começou a assediar investidores no início deste ano.

A 1ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor (Prodecon) denunciou, nesta quinta-feira, 28 de setembro, 16 pessoas em decorrência da Operação Patrick. Os envolvidos responderão na Justiça pelos crimes de organização criminosa, pirâmide financeira, estelionato, uso de documentos públicos, lavagem de dinheiro e obstrução à justiça.

As investigações, realizadas pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), apontaram a existência de associação criminosa voltada para a prática dos crimes de pirâmide financeira e estelionato, com a exploração de moeda virtual fictícia, cujo objetivo era a obtenção de vantagens ilícitas, em detrimento da confiança dos investidores.

 

Publicidade

A atuação da organização era caracterizada pela atração de pessoas dispostas a realizarem investimentos, com a promessa de lucros de 1% ao dia, com a moeda virtual Kriptacoin. Além disso, as vítimas também eram seduzidas pela possibilidade de perceberem lucros ainda maiores a partir da indicação de novos investidores, o que é característica das estruturas de pirâmide financeira.

Os recursos obtidos por meio da fraude eram direcionados para pagar parte dos investidores, sendo que a maioria dos valores era destinada aos líderes do esquema e seus subordinados. Além disso, o dinheiro foi utilizado na compra de bens no nome de terceiros, que serviram como laranjas, inclusive com o uso de documentos falsos, também com o objetivo de dissimular a origem do dinheiro obtido ilegalmente.

Durante a operação, foram apreendidos bens de alto valor, além de grande quantia em dinheiro, que deverão ser usados para ressarcir os investidores. As investigações ainda estão em curso e podem resultar na identificação de outras pessoas envolvidas nos crimes. O processo tramita na 8ª Vara Criminal de Brasília.

Processo: 2017.01.1.024155-9MP DF

Aquiaguasclaras

Foto: Correiobraziliense

 

Publicidade

Comentários

}